Candidíase Tratamento e Cura

Candidíase Intestinal – Por que Ocorre a Infecção e Como Evitá-la

Candidíase Intestinal – Por que Ocorre a Infecção e Como Evitá-la

A Candidíase Intestinal é uma doença infecciosa causada pelo fungo da candida albicans, um micro-organismo dimórfico, ou seja, que possui duas formas. Se apresenta em formato de leveduras arredondadas, hifas ou pseudo-hifas.

 

Essa infecção não ocorre por acaso, assim como sua mutação para um fungo, que é sua forma patogênica, que pode causando inúmeros prejuízos à saúde do hospedeiro.

 

O nosso intestino é um verdadeiro habitat para inúmeras colônias de bactérias e outros microrganismos, que geralmente estão convivendo em equilíbrio, se beneficiando de uma troca mútua com o homem(mutualismo).

 

Estima-se que 1200 espécies de bactérias habitam o organismo, 100 trilhões delas só na flora intestinal. Em média isso pesaria cerca de 2kg de bactérias, uma relação de 100 para 1 em comparação às próprias células do corpo humano.

 

Parece exagero, mas não é, somos 90% micróbios e 10% humanos já que abrigamos mais de 100 vezes genes microbianos que os nossos próprios. Todos sujeitos a se modificarem conforme interagem com o meio, ou seja, com nós mesmos.

 

Quando por algum motivo a ordem da microflora intestinal se rompe, pode haver um desequilíbrio. Todos os laços saudáveis com o hospedeiro podem se conturbar, as enzimas e toxinas produzidas pelos microrganismos podem causar um problemão.

 

É dessa forma que acontecem as deformações celulares e mutação de microrganismos como da candida albicans. Ela convive em harmonia com o homem em um meio alcalino, mas quando a química se torna ácida(PH alto), ela pode se um agente patogênico.

 

É dessa forma que a candida albicans pode transformar-se de levedura às hifas, causando a infecção fúngica de candidíase intestinal. Uma doença que pode trazer estragos severos, o que merece dedicação e cuidados especiais.

 

 

Como ocorre a candidíase intestinal?

A infecção por candidíase intestinal acontece quando bactérias boas do intestino, conhecidas como probióticas, tem baixa. Esse cenário por sua vez diminui competição por espaço no intestino, tornando a candida a mais dominante.

 

Quando essa infecção é diagnosticada, se observa algumas características no trato intestinal como o PH, níveis de oxigênio e nutrientes. Também são identificadas alterações nas produções de secreções como da bile.

 

Todas essas mudanças são efeito de outros problemas do trato intestinal como a síndrome do intestino irritado, úlceras gástricas, doença de Crohn, colite ulcerativa e outros problemas do intestino.

 

Dessa forma, pode-se dizer que a candidíase intestinal é efeito de problemas de saúde do intestino e não um problema isolado como se pensa. Ela na verdade é o comportamento natural da nossa microbiota quando em desequilíbrio.

 

Para elucidar a ligação da candidíase intestinal com problemas da saúde no intestino, uma pesquisa foi feita com ratos.

 

As cobaias eram estudados com aplicação de cistamina, um composto que se acumulado no duodeno causa a úlcera.

 

Os ratos que receberam vacina contendo cistamina junto a candida albicans desenvolveram em proporção de 16/17 úlcera no duodeno, enquanto os que receberam apenas cistamina desenvolveram úlcera na proporção de 4/17.

 

Foi verificado que, nos ratos que receberam a candida albicans sem cistamina, não houve desenvolvimento de úlcera. Verificou-se posteriormente que a úlcera era mais agressiva naqueles em que a candida albicans estava presente.

 

Um estudo similar com ácido acético foi feito com resultados parecidos, mas dessa vez se verificou que a severidade e velocidade na cicatrização das úlceras era muito mais lenta nas cobaias com candida albicans agindo no intestino doente.

 

O estudo final foi quando ratos com inflamação intestinal tiveram colônias de candida se desenvolvendo com sucesso no intestino doente, enquanto nas cobaias saudáveis a candida não teve o mesmo sucesso.

 

 

Quais problemas de saúde podem causar candidíase intestinal?

 

O crescimento das colônias de candida albicans que causam a candidíase intestinal tem grande ligação com inúmeros maus hábitos ou doenças que diminuem a microbiota. São recorrentes e já bem conhecidos, se resumem aos seguintes fatores:

 

  • Mudanças hormonais: uso de pilulas, pilulas do dia seguinte, reposição hormonal ou uso de corticosteroides.

 

  • Dibiose por antibióticos: o uso inadequado ou superdose de antibióticos, causando a morte de bactérias probióticas e ascensão da candida albicans.

 

  • Problema alimentar: geralmente por muito consumo de comidas processadas ou contaminadas por fungos, bactérias que promovem o crescimento da candida.

 

  • Consumo de Carboidratos: o exagero no consumo de açucares e carboidratos, o alimento principal da candida albicans.

 

  • Consumo de drogas: As bebidas alcoólicas em excesso ou outras drogas diminuem a imunidade, a química do organismo e assim o crescimento da colônia de candida.

 

  • Doenças imunossupressoras: doenças como diabetes, AIDS, pessoas tratando câncer, anemia e qualquer problema de imunidade.

 

Entre todos esses problemas, os que mais causam candidíase intestinal são certamente o consumo inadequado de antibióticos, o principal responsável pelo desequilíbrio da microflora, juntamente aos problemas imunossupressores.

 

O uso de antibióticos, vale destacar, são uteis para inúmeros problemas bacterianos, mas caso utilizado em um organismo com baixa imunidade, somado a outros fatores, podem causar desequilíbrio. Além disso, a candidíase continuará por ser resistente a antibióticos.

 

Existem também casos de problemas psicológicos em pacientes, como o stress e depressão, que podem modificar a química do organismo. Isso pode manifestar a conhecida síndrome do intestino irritado, o que favorece a candidíase intestinal.

 

 

Quais cuidados tomar para evitar a candidíase intestinal

 

Você deve ter percebido que a candidíase intestinal não é um problema isolado, ela na verdade é uma reação da nossa microflora a problemas maiores em nossa saúde intestinal. Então ela passa de uma levedura a um fungo, contaminando o hospedeiro.

 

Não é fácil sermos disciplinados com nossos hábitos diários, eles sempre estão em um mesmo roteiro automático e não é comum mudarmos eles sem propósitos, porém, quando nossa imunidade está baixa, o correto é termos alguns cuidados adicionais.

 

O melhor conselho em prol de evitar uma candidíase intestinal, está em torno dos cuidados com a baixa imunidade. É esse o estopim para desenvolvimento de vírus, fungos e bactérias indesejadas e a chave para isso é a alimentação.

 

As pessoas contraem uma gripe, por exemplo, continuando a se alimentar com comidas de baixo valor nutricional ou consumindo bebidas alcoólicas. Muitos não se atem ao fato do organismo estar se recuperando e abrem brecha para uma infecção de candidíase.

 

A chave para evitar a candidíase intestinal está basicamente no que consumimos em períodos de baixa imunidade. Como nos alimentamos após sofrermos de uma disenteria ou outro problema qualquer de saúde.

 

Vou enumerar alguns hábitos alimentares possíveis de serem evitados pelas pessoas com baixa imunidade, evitando uma infecção de candidíase intestinal, são elas:

 

 

1- Evitar alimentar a candida albicans

 

O crescimento da colônia de candida tem como combustível o açúcar, carboidratos, refinados e glúten. Dessa categoria se enquadram todas as formas de açúcar, lactose, mel, glucose, frutose, e substitutos do açúcar como o aspartame ou sacarina.

 

Alguns vegetais e tubérculos também são ricos em açúcar como batata-doce, cenoura e beterraba.

 

Comidas processadas também devem ser evitadas por conter açúcar como o caso do ketchup, cereais e refrigerantes.

 

Grãos com glúten também alimentam a candida já que contem alto índice glicêmico, portanto é bom diminuir alimentos a base de milho, trigo e cevada. Portanto, o ideal é consumirmos a cervejinha apenas no momento certo, não quando estamos doentes.

 

 

2- Reconstruir o sistema imunológico

 

O ideal para manter a candidíase sob controle está no alto consumo de proteínas, gorduras boas e óleos saturados. Esses alimentos antes de tudo devem estar livres de aditivos e conservantes para isso.

 

A proteína na alimentação tornar lenta a quebra de carboidratos no organismo, o que diminui a fonte de energia para o crescimento das colonias de candida albicans.

 

Portanto, é recomendada a alimentação de carnes frescas e peixes como sardinha e salmão que são ricos em ômega 3 em uma dieta de alguém que está com baixa imunidade ou saindo de qualquer problema de saúde.

 

O colesterol entra aqui como um aliado, diferente do que muitos pensam, já que tem papel de reparador e protetor do sistema imunológico, nutrindo o cérebro e sistema nervoso.

 

 

3- Introduzir bactérias boas no trato digestivo

 

Existem bactérias que auxiliam a flora a ser restituída, são os probióticos, as bactérias boas que inibem a manifestação de agentes patogênicos como as hifas da candida albicans.

 

Quando a candida albicans esta concorrendo por espaço no trato intestinal, somente os probióticos podem competir a ponto de tomarem esse lugar. Eles estão presente geralmente no intestino delgado, na maioria são os lactobacilos e bifidobacterias.

 

Uma ótima forma de encontrar essas fontes de bactérias está no fermento de repolho, encontrado no chucrute por exemplo. Busque uma receita bem explicada de como fazer o Repolho Rejuvalac.

 

Outra fonte mais fácil de encontrar probióticos, apesar da lactose, continua sendo o Iogurte vivo, Aquele vendido sem açúcar ou aditivos de sabor vendido no supermercado.

 

Lembre-se, o Iogurte com açúcar alimentaria a candida albicans, a ideia é tomá-lo ao natural mesmo. Apesar da lactose, esse continua sendo um dos insumos mais ricos em lactobacilos acidófilos.

 

Outra recomendação de peso é o Yakult também fácil de encontrar em supermercados, mas lembre-se, tome com moderação pois nada em excesso é bom para quem busca equilibrar a microflora.

 

 

Recomendação

 

Para curar a candidíase intestinal, o melhor remédio está na alimentação, substituindo alguns alimentos proibidos e adotando outros recomendados. Esse método é chamado de alimentação direcionada, um plano alimentar de fato eficaz.

 

Muitas pessoas sofrem anos usando remédios sintéticos sem resultados para a candidíase intestinal elas nem ao menos tem conhecido dessas alternativas que vou te apresentar agora.

 

Não é fácil encontrarmos conhecimento sobre esses tratamentos na língua portuguesa, mas temos felizmente 2 alternativas que posso recomendar pela eficiência já reconhecida. Adote a que você se identificar mais e inicie seu tratamento hoje mesmo.

 

 

O programa Vencendo a Candidíase é um método criado por uma nutricionista e infectologista que publicou essa obra com inúmeras receitas, ingredientes e seu método já consagrado para combater a candida albicans.

 

Clique nesse link para o site oficial do produto e saiba mais.

 

 

Outra alternativa de peso é o programa Viver Sem Candidíase, um guia passo a passo para o paciente se desintoxicar, eliminar a candidíase e se imunizar a doença. O programa é bem completo e cheio de variedades de receitas e ingredientes para um tratamento de ponta.

 

Para saber mais clique no link e conheça o site oficial do produto.

Deixe seu Comentário