Candidíase Tratamento e Cura

Candidíase na Gravidez – Quais os riscos, sintomas e tratamento adequado

Candidíase na Gravidez – Quais os riscos, sintomas e tratamento adequado

A candidíase na gravidez é um problema muito recorrente em consultórios de obstetras e ginecologistas, trata-se de uma infecção causada pela candida albicans, um fungo oportunista que se aproveita das mudanças hormonais da gestante.

 

A Candida Albicans é uma levedura encontrada comumente na flora vaginal, intestino, boca e também na pele de qualquer indivíduo, porém, sob reação de mudanças químicas no organismo, ela pode tornar-se um agente patogênico.

 

Toda a gestante passa por modificações em seu corpo, o adaptando a nova condição de amamentar e abrigar o bebê para seu desenvolvimento. Essas mudanças podem ser abruptas e levar a baixas da imunidade, nesse momento que a candida se aproveita.

 

Por esse motivo é muito comum que mulheres tenham sua primeira crise de candidíase na gravidez. Da mesma forma que nesse período é comum a gestante passar por gripes, resfriados e outras manifestações de bactérias ou vírus.

 

O nível de estrogênio é elevado nesse período, assim como o corrimento vaginal, que por sua vez favorece mudanças na região íntima da mulher. O nível de acidez na vagina(PH) se eleva, podendo manifestar-se a infecção por candidíase vaginal.

 

O maior risco está no parto natural quando a gestante está com a infecção por candidíase vaginal. Dessa forma, o bebê pode contrair a infecção na pele, na boca(candidíase oral) ou nas regiões mais úmidas e quentes do seu corpo.

 

Nessa situação de contágio, a candidíase oral no bebê é a infecção mais comum, o que pode complicar na amamentação já que a mulher pode contrair candidíase mamária, completando assim um ciclo de contaminação na gestante e no bebê.

 

 

Quais os riscos da candidíase na gravidez?

 

A candidíase sozinha é um problema muito recorrente nas mulheres segundo as estatísticas. Estudos apontam que ¾ das mulheres já tiveram ou terão esse tipo de infecção na vida.

 

A gestante tem os níveis de hormônios alterados como o estrogênio e progesterona que se multiplicam, trazendo clássicos desafios psicológicos por consequência disso. Por isso é muito comum mudanças de humor e do estado emocional nas grávidas em geral.

 

A mulher gestante vive em estado interno de alerta e insegurança, quase que por instinto. Nesse ponto, somada à candidíase, pode trazer outras mudanças que conturbam a gestação ainda mais nesse período.

 

As mudanças químicas provocadas pelas toxinas liberadas no organismo com o crescimento das colônias de candida albicans, tornam normalmente a pessoa desconcentrada, com fadiga e memória fraca, podendo levar a pessoa a uma depressão.

 

Essas complicações podem fazer a gravidez ser complicada e tornar o bebê pré maturo se o fungo provocar o rompimento da bolsa d’água.

 

Outra complicação está dentro do útero caso a colônia de candida se espalhe e não seja tratada durante esse período. O bebê pode contrair candidíase cutânea congênita ainda dentro da mãe, o que pode trazer manchas de nascença para ele.

 

Por isso é aconselhável a gestante estar atenta as mudanças em seu corpo, sendo acompanhada por um especialista e se tratar.

 

O tratamento para candidíase geralmente não é complicado na maioria dos casos, mas o surgimento de alguns sintomas da candidíase na gravidez devem ser percebidos para que se evitem problemas maiores.

 

 

Os principais sintomas da candidíase na gravidez

 

O período de gravidez é marcado por sintomas já bem conhecidos e que se assemelham com os da própria candidíase, como no caso do aumento da secreção vaginal, mudanças de humor como já comentado e um grande apetite por doces.

 

Mas outros sintomas mais pontuais são evidências de candidíase vaginal, a infecção que pode complicar a gestação com risco para o bebê. Por isso a mulher deve ficar atenta aos seguintes sintomas:

 

  • Corrimento vaginal espessonormalmente a gestante apresenta aumento no corrimento vaginal, mas quando ele se apresentar mais grosso, esbranquiçado ou cremoso parecido com nata de leite, há um sinal de candidíase vaginal.

    Obs: Não se deve confundir com o corrimento de muco hormonal da gravidez, que se apresenta transparente e com espessura do próprio liquido vaginal.

  • Coceira, vermelhidão e inchaço – a manifestação das colônias de candida albicans na região vaginal podem causar coceiras na vulva e canal vaginal, vermelhidão com descamação nos grandes lábios, algumas feridas e até inchaço.

    É normal essa manifestação ser acompanhada com mau odor e muita produção de esmegma vaginal.

 

  • Dor durante sexo ou ao urinar – por causa da manifestação do fungo no tecido vaginal é normal haver muita dor durante o ato sexual ou ao urinar. Os sintomas são a sensação de ardência e queimação já que o fungo pode se alojar no canal da uretra.

    Obs: Esses sintomas podem se confundir também com a cistite, qualquer inflamação ou infecção urinária. Um exame de cultura pode ser necessário para desvendar qual a causa real do problema.

 

Portanto, os sintomas da candidíase na gravidez não se passam dos mesmos sintomas da candidíase vaginal, já que são a mesma infecção de fato. A diferença está no risco da gestante transmitir o fungo pelo contato com o bebê através do parto normal.

 

 

Como tratar a candidíase na gravidez?

Apesar de ser o mesmo conhecido problema de candidíase vaginal, o tratamento não pode ser da mesma forma que feito por uma mulher não gestante. Existe uma série de medicamentos proibidos de serem usados por uma grávida.

 

Algumas das fórmulas dos remédios contém substâncias que podem afetar a formação do feto, causar aborto ou trazer outros efeitos colaterais e de risco para a mãe e para o bebê.

 

Segundo a FDA – Food and Drug Administration, que significa, Administração de Comidas e Remédios (no português), os medicamentos classificados como de risco D ou X são proibidos durante a gravidez, sendo aconselhados os de risco B e C.

 

Essa informação e classificação de risco dos medicamentos está na bula e deve ser rigorosamente verificada pela gestante antes de usar qualquer creme, pomada ou remédio para candidíase na gravidez.

 

A boa notícia para as futuras mães com candidíase é que existem alternativas naturais para tratar candidíase feminina sem prejuízo para ela e seu bebê. Algumas receitas caseiras que passam longe dos remédios sintéticos e que funcionam!

 

Criei um artigo intitulado “Candidíase Feminina – 3 Dicas Para o Alívio Imediato da Candidíase Vaginal”, basta clicar no link para conhecer as receitas, que além de aliviar imediatamente os sintomas, podem curar de fato a candidíase vaginal.

 

Outra maneira de buscar a cura para a candidíase feminina está na alimentação, a chave de todo o tratamento bem-feito, já que “somos aquilo que comemos” e que por sua vez se exterioriza em nosso corpo.

 

Sem dúvidas a alimentação é o melhor tratamento para combater a candidíase. Basta alimentar-se do que pode prejudicar a candida albicans, na mesma medida que esteja evitando de comer aquilo que mais a sustenta no crescimento de suas colônias.

 

 

O que evitar comer para combater a candidíase na gestação

 

Não é fácil administrar os cortes, mas para tratar a candidíase pela alimentação é excepcional mudar alguns hábitos alimentares diminuindo a ingestão ou até mesmo cortando de vez:

  • Doces(use Stevia do lugar do açúcar)

 

  • Frituras

 

  • Leite

 

  • Tubérculos como batata e mandioca.

 

  • Amendoim e pistache

 

  • Cogumelos

 

  • Alimentos fermentados como pães e massas

 

  • Enlatados

 

 

O que é bom comer para se combater a candidíase na gestação

 

É excepcional também que se coma certos alimentos que contribuam com a flora intestinal e façam uma limpeza do sistema digestivo, para isso consuma:

 

  • Muita água

 

  • Fibras

 

  • Limão

 

  • Leite de soja

 

  • Vegetais

 

  • Carnes de todos os tipos, peixes e ovos.

 

  • Azeite de oliva

 

  • Algas Marinhas

 

  • Alho

 

  • Todas as Verduras

 

 

Recomendação

 

Geralmente uma gestante já está consciente dos cuidados que deve ter com a alimentação no desenvolvimento do seu bebê. Dessa forma, as mães conseguem se dedicar a alimentação como em nenhuma outra fase da vida.

 

Aproveitando desse momento, a gestante adota com facilidade uma alimentação saudável, é exatamente isso o que recomendo também para o combate da candidíase na gravidez. Adotar um tratamento alimentar dedicado ao combate da candidíase.

Existem alternativas de programas de alimentação direcionada ao combate da candidíase que merecem atenção por já serem consagrados no mercado. Vou te apresentar os 2 principais, adote um desses programas o quanto antes para curar a candidíase de verdade.

 

O programa Vencendo a Candidíase é um método de alimentação direcionada criado por uma infectologista e nutricionista, ele contem receitas que podem ser seguidas com facilidade por qualquer pessoa.

O método propõe eliminar a candidíase em 30 dias, é um programa bem famoso. 

 

Clique no link para ser direcionado para a página oficial e saiba mais.

 

 

Outra alternativa de ponta no tratamento alimentar para candidíase é o programa Viver Sem Candidíase, ele funciona como um guia passo a passo para o paciente se desintoxicar e combater a colonia de candida albicans diretamente em suas fraquezas, reforçando a alimentação em pontos estratégicos no combate da infecção até imunizar o organismo.

 

Para conhecer melhor o tratamento, acesse o site oficial clicando nesse link.

Deixe seu Comentário