A dieta para candidíase funcionou para mim, mas não sem controvérsias. Aqui está o que os especialistas disseram sobre ela…

Foi assim que começou o relato de Jazmine Polk para a revista americana Health ao contar sua experiencia com o tratamento alimentar para candidíase.

É um caso que vale a pena ser contado, e claro que, caso você sofra dessa mesma infecção, vale também a sua leitura.

Acompanhe!

 

Quando Apareceu O Problema

Dois anos atrás, me prescreveram um antibiótico forte para tratar uma infecção dentária. Os remédios resolveram esse problema, mas dois dias após tomar o ultimo comprimido, desenvolvi alguns sintomas complicados.

Minha pele começou a secar, sentia coceiras e estava constantemente inchada com um nevoeiro inexplicável no cérebro.

Também comecei a ter uma vaginite persistente causada por fungos e tratava cada um dos sintomas com cremes sem prescrição médica. Mas quando pensava que eles tinha finalmente desaparecido, a dor com coceira começavam de novo e me deixavam realmente infeliz.

Para tentar curar meus problemas de saúde, passei meses vendo incontáveis médicos e experimentando todos os remédios sugeridos – o que incluía remédios caseiros como óleo de tea tree e me consultar até com um médium.

Então, um dia, decidi verificar um centro médico holístico perto de minha casa na cidade de Nova York. O centro era dirigido por Anthony Salzarulo, um médico holístico.

Salzarulo me diagnosticou e me explicou o que é a candidíase – uma infecção fúngica causada por um crescimento excessivo de leveduras de fungos.

Salzarulo fez com que eu começasse a tomar um probiótico diário disponível nas farmácias e me colocou em um plano de dieta que, segundo ele, restauraria meu sistema imunológico e equilibraria as bactérias naturalmente encontradas em meu intestino.

Muitos médicos não puderam me ajudar, então tentei esse plano. Funcionou e me sinto agora melhor do que nunca.

Mas um diagnóstico de candidíase e um plano de dieta geram controvérsias. E para saber mais, voltei a falar com Salzarulo e outros dois especialistas para conhecer suas opiniões.

Leia também → Sintomas da Candidíase e Diagnóstico – Como Saber Se Estou Infectada?

O Que Eles Me Contaram Sobre O Supercrescimento Da Candida

Candida é uma levedura “parte do nosso bioma natural”, contida em proporção saudáveis no corpo junto a outras bactérias. Mas “quando há crescimento excessivo dela, o microbioma está precisando ser trazido de volta ao equilíbrio ” disse Salzarulo.

O uso de antibióticos é um fator comum que causa crescimento excessivo de Candida e bactérias ruins, acrescentou Salzarulo. Pois os antibióticos matam bactérias boas que mantêm o sistema equilibrado.

“Usar antibióticos apenas uma vez já cria uma situação muito favorável para que as leveduras tenham vantagem na ecologia intestinal”, explicou ele.

Cynthia Sass, editora de nutrição contribuinte da revista Health, diz que um sistema imunológico enfraquecido com dieta pobre em nutrientes e rica em açúcar também podem causar o crescimento da Candida.

Meu amor por doces, massas e panquecas carregadas com açúcar, trabalharam juntas com o antibiótico para promover o crescimento excessivo, alimentando essas leveduras no meu corpo, ela acredita.

Mas foi Sass quem destacou que a candidíase é um assunto controverso.

“Essa é uma questão controversa, mesmo dentro da comunidade da medicina alternativa. Os médicos que acreditam nisso, costumam citar sintomas incluindo infecções vaginais crônicas por fungos, fadiga, inchaço, diarreia, névoa cerebral, mau humor e problemas de pele.”

Outra nutricionista com quem conversei, Tamara Duker Freuman, também é cética.

“A candidíase é um diagnóstico real, mas se refere ao crescimento excessivo de Candida no esôfago, na vagina e na boca; é aí que ocorre crescimento excessivo de Candida. Mas a ideia de que você tem esse tipo sistêmico de crescimento excessivo … isso não é real”.

Embora a Candida seja uma parte normal da flora intestinal, “quando dizem que está crescendo demais, em que se baseiam?

Não temos padrões para o que é normal. Simplesmente não sabemos qual quantidade normal é encontrada naturalmente no intestino “, disse ela.

 

Os Princípios Básicos Da Dieta Para Candida

relogio com ponteiros marcando a alimentação para candidíaseSalzarulo acredita que o crescimento excessivo de Candida no intestino é algo real, e me colocou em uma dieta estritamente sem açúcar, grãos e sem laticínios para restaurar o equilíbrio correto da levedura no meu corpo.

O objetivo disso é matar a levedura de fome retirando os alimentos e bebidas das quais ela poderia estar se alimentando.

Isso significa que não pode haver pão, doces, massas, batatas fritas, cereais, frituras, queijo, leite, vegetais ricos em amido (como milho e batata), sobremesas açucaradas, certas frutas, refrigerantes, álcool ou café.

É uma lista grande, mas Salzarulo recomendou focar o plano alimentar e focar no que é permitido, não nas restrições.

Os alimentos que caem bem na dieta para Candida são vegetais verdes, carne, peixe, ovos, salada, amêndoas, nozes, chá de ervas, suco verde e água de coco sem açúcar.

Junto com a dieta, ele sugeriu tomar vitaminas e um probiótico, assim como dormir o suficiente e evitar estresse, o que ajuda a estimular o sistema imunológico.

Não existe período definido de tempo para seguir a dieta; algumas pessoas se sentem melhor após um mês a seguindo, enquanto outras veem seus sintomas desaparecerem após três meses, diz Salzarulo.

No entanto, quando você se sentir melhor e ver os sintomas desaparecerem, não deve voltar imediatamente a comer Doritos e pizza todos os dias.

Sass acrescenta: “Depois de resolver os sintomas, os alimentos que foram eliminados são sistematicamente adicionados de volta, mas o objetivo não é voltar a uma forma de comer que desencadeie outro desequilíbrio”.

Artigo Relacionado → Chá Para Candidíase: Aprenda A Fazer o Kombucha Terapêutico do Zero

 

O Que Aconteceu Quando Tentei a Dieta

médico receitando dieta da candidíaseEu estava chorando quando Salzarulo leu para mim a lista de alimentos que eu teria que cortar. As primeiras semanas foram as mais desafiadoras e eu estava mal-humorada, sonolenta, com fome e raiva do mundo sonhando com batatas fritas.

Demorou cerca de três semanas para meu corpo se acostumar com meu novo plano de alimentação.

Eu comia ovos no café da manhã, frango ou peixe assado e uma salada no almoço, um hambúrguer sem pão no jantar e, em seguida, comia amêndoas e cenouras ao longo do dia.

Tive alguns momentos de fraqueza quando ansiava desesperadamente por Doritos (e talvez até comi alguns). Mas eu precisava continuar me lembrando da miséria dos meus sintomas e permanecer forte para ter minha vida e saúde de volta.

Depois de um mês, comecei a me sentir melhor do que antes, mesmo antes de meus sintomas aparecerem. Já não estava com fome o tempo todo, dormia melhor, tinha mais energia do que em anos e, o mais importante, as infecções por fungos pararam.

Para minha surpresa, perdi 7 quilos, minha acne sumiu completamente e meu cabelo e unhas ficaram mais longos e saudáveis.

“Normalmente, a dieta para Candida é muito mais rica em nutrientes do que a dieta que as pessoas vinham consumindo”, disse Sass.

“Isso combina-se com a eliminação do açúcar, café, álcool e bebendo mais água, muitas vezes leva a outros benefícios. Incluindo neles o aumento de energia, melhor saúde digestiva, melhora do humor, mais clareza mental e bom sono, resultando uma melhor saúde da pele e também na perda de peso”.

 

Como Terminou o Problema Com a Infecção

Dois meses depois, voltei para Salzarulo, que me deu luz verde para adicionar lentamente os alimentos que amo de volta à minha dieta, mas com moderação.

Quando descobri que já não conseguia comer tanto quanto antes. Também percebi que não precisava de açúcar ou batatas fritas tanto quanto eu consumia.

Ganhei preferencia por comer salmão e saladas ao invés da minha escolha usual de frango empanado com batatas fritas – embora eu ainda goste deles de vez em quando.

Já se passaram quase dois anos e continuo monitorando minha ingestão de açúcar e carboidratos e tomo um probiótico diariamente – embora não esteja mais na dieta para Candida, já que meus sintomas não voltaram.

Mas, olhando para trás, estou emocionada por não ter cedido aos meus vícios alimentares iniciais. É bom saber que meu desejo por me sentir saudável venceu aqueles desejos ilimitados por panquecas.