A candidíase intestinal é uma infecção fúngica indigesta com razões bem claras para acontecer. Mas existem caminhos seguros para tratar o intestino e reverter qualquer outra infecção do corpo à partir dele.

O intestino humano é habitado por fungos e bactérias colaborativas que dividem espaço. Interferir nesse ambiente e sobre a competição natural desses organismos pode acarretar muitos impactos para a saúde.

“Estima-se que 1200 espécies de bactérias habitam o corpo humano, 100 trilhões delas só na flora intestinal. Em média, elas pesariam cerca de 2kg só contando as bactérias.”

Isso significa uma relação de 100 para 1 em comparação às próprias células do corpo humano. Nós simplesmente abrigamos mais de 100 vezes genes microbianos que os nossos próprios.

Esse é o núcleo do microbioma humano, um ponto chave para a nossa saúde que simboliza 80% das nossas defesas. Esse também é o principal ponto de infecções da monilíase em humanos.

A partir da candidíase no intestino, o fungo pode colonizar qualquer outra área do corpo. E quando enfrentamos outros problemas intestinais, a Candida também retarda a cura da inflamação podendo crescer sobre ela.

Toda essa informação sugere que, quando estamos cuidando da nossa saúde, estamos na verdade cuidando da condição de vida de colonias inteiras de fungos, bactérias e protozoários no nosso organismo.

 

O Que Significa A Candidíase Intestinal?

Ter candidíase no intestino significa uma desordem na microflora natural e prevalência dos fungos sobre outros microrganismos. Dessa forma, toda a colaboração entre homem e fungo pode ser alterada, os tornando patogênicos.

O papel do fungo da Candida no intestino é de auxiliar da nossa digestão quando em meio mais acido. Dessa forma ele se mantêm como levedura sendo controlado pelo convívio harmonioso com outras bactérias intestinais.

No entanto, quando o meio torna-se mais alcalino (PH alto), as leveduras recebem sinais de que precisam acidificar o intestino e crescem. Nesse processo pode haver mutação, tornando a Candida agressiva e infeciosa.

É dessa forma que acontecem as deformações celulares que tornam a Candida um agente patogênico. Ela modifica o próprio código DNA, altera quimicamente o ambiente para se adaptar, crescer e pode tornar-se invasiva no corpo.

Como resultado, ela passa da forma de leveduras à hifas agressivas e infeciona o trato gastro intestinal, afetando o intestino grosso e delgado. Podendo passar também para o trato genital, oral e até mesmo para a corrente sanguínea.

Os problemas vaginais por fungos são os mais tratados na medicina. Quando se tornam crônicos, podem ser o sinal da candidíase no intestino sempre populando a genital recorrentemente.

A candidíase intestinal em bebês é outro exemplo, principalmente quando a mulher tem candidíase na gravidez. Nesses casos, a proliferação para a pele e boca é comum, uma vez que os bebes ainda não tem a microflora completamente estabelecida

A candidíase intestinal é a causa principal da candidíase recorrente em outras partes do corpo. Ela é também o motivo da hipersensibilidade a fungos, por isso, é o ponto chave de qualquer tratamento para os problemas crônicos.

 

Como Se Pega A Candidíase no Intestino?

foto das colonias de fungos que habitam o intestino

A infecção da candidíase intestinal acontece quando bactérias benéficas no intestino, os probióticos, tem baixas. A causa mais comum disso é o uso inadequado dos antibióticos, principalmente os de amplo espectro.

Mas esse é apenas um dos possíveis causadores de uma disbiose intestinal, e nesse cenário, a menor competição por espaço no intestino torna o fungo da Candida predominante e sem controle para crescer.

Dessa forma a colonia do fungo amadurece podendo alterar o sistema imunológico na falta de outros microrganismos. Pois pode controlar a acidez intestinal e liberar suas toxinas, além de trazer outros problemas ao intestino.

Todas essas mudanças ou desequilíbrios ambientes que promovem o crescimento da Candida podem surgir também de outros problemas intestinais como:

  • Síndrome do intestino irritado
  • Úlceras gástricas
  • Doença de Crohn
  • Colite ulcerativa
  • Doença neoplásica
  • E qualquer irritação no intestino.

Esses adventos da saúde intestinal podem criar um ciclo vicioso. Pois as inflamações promovem a colonização do fungo, que retarda a cicatrização e ao mesmo tempo gera inflamações.

Por isso, pode-se dizer que a causa da candidíase no intestino é efeito de mudanças químicas do organismo. Sobretudo aquelas feitas pelos próprios fungos, pela falta de bactérias rivais ou outros problemas do intestino.

A manifestação da candidíase intestinal pode até mesmo surgir de uma baixa da imunidade em um indivíduo com maus hábitos alimentares. Sobretudo em uma dieta carregada de comidas inflamatórias.

Quais Outros Problemas Podem Causar A Infecção?

O crescimento das colônias de Candida Albicans tem grande ligação com inúmeros hábitos e outras doenças subjacentes que prejudicam o sistema imunológico.

Os problemas mais conhecidos se resumem em:

  • Mudanças hormonais: uso de anticonceptivos, pilulas do dia seguinte, reposição hormonal ou uso de medicamentos com corticosteroides.
  • Disbiose por antibióticos: o uso inadequado ou superdosagem de antibióticos causando a morte de bactérias benéficas e concorrentes à Candida.
  • Problema alimentar: muito consumo de comidas processadas, pobres de nutrientes ou contaminadas por bactérias e fungos que promovem a fermentação.
  • Consumo de Carboidratos: o exagero no consumo de açucares e carboidratos. As principais fontes de energia para o crescimento dos fungos.
  • Consumo de drogas: As bebidas alcoólicas em excesso ou outras drogas diminuem a imunidade, alteram a química do organismo e abrem brechas para o crescimento da Candida.
  • Doenças imunossupressoras: doenças como diabetes, AIDS, pessoas tratando de câncer, anemia, hepatite ou qualquer problema imunológico.

Entre esses, o maior causador da candidíase intestinal é o uso inadequado de antibióticos como dito. Mas os problemas de disenteria e intoxicação alimentar também podem resultar na disbiose intestinal.

Os fungos causadores da candidíase são super-resistentes a antibióticos. O uso deles pode destruir bactérias rivais e realmente tornar a Candida dominante no organismo.

Outros problemas emocionais também podem alterar a química do corpo.

E ao mesmo tempo que o nosso intestino é nosso segundo cérebro, as toxinas liberadas pelo fungo também podem causar uma candidíase emocional na pessoa infectada

Muitas vezes, esse reflexo do sistema nervoso no intestino se apresenta oculto. Mas a síndrome do intestino irritado é um sintoma físico mais notório daqueles que surgem por reflexo emocional.

 

O Comportamento da Candida No Intestino

Para elucidar a ligação de causa da candidíase intestinal com problemas da saúde no intestino, um estudo foi feita com ratos. Nele, os cobaias eram estudados com aplicação da cistamina, um composto que, quando acumulado no duodeno, causa a úlcera.

Os ratos que receberam a cistamina junto a Candida albicans desenvolveram em proporção de 16/17 a úlcera no duodeno, enquanto outros que receberam apenas a cistamina isolada, desenvolveram úlcera na proporção de 4/17.

Foi verificado que os ratos que receberam a Candida albicans sem a cistamina não desenvolveram a úlcera. Verificou-se também que a úlcera era mais severa naqueles em que a Candida albicans estava presente.

Um estudo similar com ácido acético foi feito com resultados semelhantes.

Dessa vez, verificou-se uma severidade maior e velocidade na cicatrização das úlceras muito mais lenta nas cobaias com Candida albicans agindo no intestino doente.

O estudo final mostrou que os ratos com inflamação intestinal tiveram colônias de Candida se desenvolvendo com sucesso, enquanto que nas cobaias saudáveis, a Candida não teve o mesmo progresso.

Em resumo, o estudo comprovou que, quando existem problemas intestinais, uma mudança no pH ocorre na região em cicatrização. Esse fato altera o meio fazendo a Candida crescer e prevalecer sobre a infecção .

O estudo também esclarece como doenças mal curadas podem favorecer a formação de colonias remanescentes do fungo. Podendo mantê-las nos bastidores do organismo aguardando a queda na imunidade para ressurgirem.

Pois quando observamos como a Candida age, vemos que ela cria um biofilme para se proteger no corpo. Esse é um dos fatores parasíticos do fungo que o torna persistente, fazendo ele ganhar resistência e amadurecer no organismo.

 

Como Saber Se Estou Com A Infecção Intestinal?

mulher se contorcendo com candidíase no intestino

Essa infecção é comum no intestino, mas fatores genéticos influenciam seus sinais pelo corpo. Pois algumas pessoas tem o crescimento dos fungos facilmente controlável pelo sistema imunológico enquanto outras não.

A imunidade celular é um fator que se combina ao próprio DNA dos fungos e por isso podem haver pessoas intolerantes a eles. Mas essas, somente se dão conta da infecção quando as cepas da Candida já aderiram à mucosa intestinal.

Como os fungos agredindo o sistema gastrointestinal podem se confundir com outros problemas, o diagnóstico deve ser muito preciso.

Tentar um autodiagnóstico e automedicação definitivamente não é aconselhável. E conhecer os principais sintomas da candidíase de antemão, pode ser de grande ajuda na busca de uma solução adequada.

Mas o surgimento de uma candidíase bucal ou até mesmo a infecção genital podem indicar que a saúde microbiana intestinal não está bem. Uma vez que a super população dos fungos podem ter seu ponto de partida no intestino.

Quais Os Sintomas Da Candidíase No Intestino

A infecção intestinal da candidíase apresenta sinais distintos e a manifestação deles depende do organismo de cada pessoa.

Mas de forma especifica, os sintomas de candidíase intestinal são:

  • Cólicas abdominais
  • Diarreias
  • Perda de peso
  • Sangue ou filamentos brancos nas fezes
  • Dores de cabeça
  • Intestino preso e irritado
  • Náuseas e dores de cabeça

Esses sintomas não revelam imediatamente o problema da candidíase, mas levantam a suspeita. Portanto, a presença de pelo menos 3 desses sinais ao mesmo tempo devem fazer você procurar uma consulta médica.

Os profissionais de saúde mais indicados são um clinico geral ou coloproctologista. Eles são também os responsáveis por receitar a primeira linha de tratamento da indústria caso você escolha métodos não naturais.

Como é Diagnosticada a Candidíase Intestinal

O diagnostico da candidíase intestinal inicia com o exame médico no próprio consultório, mas pode exigir um retorno com exames laboratoriais que devem ser pedidos pelo seu médico.

O mais provável é que o médico peça exame de fezes para averiguar qual é o causador do problema intestinal. O exame coproparasitológico é o indicado para conhecer a cultura que está nas fezes.

Em alguns casos, uma colonoscopia pode ser necessária para constatar se o agente patogênico está aderido nas paredes do cólon. Mas exames desse tipo não são o padrão pois se fazem necessários apenas em casos mais avançados.

 

O Que Fazer Para Tratar A Candidíase Intestinal

mulher segurando boldura com desenho do intestino

Você deve ter percebido que a candidíase intestinal não é considerada um problema isolado sobre o fungo. Na verdade, ela pode ser apenas a reação natural da nossa microflora a outros problemas intestinais.

Sem considerar isso, o tratamento numero 1 para esse tipo de candidíase é um atalho que faz uso de antifúngicos como o fluconazol. Esse tipo de medida definitivamente não corrige a flora intestinal e apenas diminui os fungos.

É necessário esclarecer que as pessoas se curam dessa forma ao levarem as colonias do fungo à míngua. Mas eles sempre estarão prontos para voltar a colonizar o intestino do zero caso os mesmos estímulos da infecção existam.

O tratamento natural para a candidíase intestinal é aquela medida que deve ser vista como definitiva. Pois o ponto chave dela está claramente em corrigir a flora microbiana por inteira, que é a causa real do problema.

Nem sempre é fácil ter disciplina nos hábitos diários ou mudarmos eles sem propósitos. Mas o melhor remédio para candidíase está na alimentação, uma ação pessoal fácil de executar, já que a realizamos todos os dias.

Muito mais difícil é ver a candidíase voltar pelos mesmos motivos e dessa vez mais forte. Pois na altura que retornam, as cepas da Candida já se imunizaram ao antifúngico do tipo “azol” que fazem parte agora do próprio código genético delas.

Através daquilo que comemos é a principal forma de alterar a química do organismo. E a partir de uma dieta anti-inflamatória, qualquer pessoa pode ter uma cura definitiva do intestino.

Por isso serão apresentados alguns hábitos de consumo que precisam ser adotados ou evitados para resolver problemas de candidíase intestinal.

Artigo relacionado → Protocolo De Apoio: Como Acabar Com a Candidíase Mais Rápido

 

1 – Controle Os Fungos Da Candida

O crescimento das colônias da Candida tem como combustível alguns alimentos que precisam ser evitados como o açúcar, carboidratos, refinados e glúten.

Dessa categoria se enquadram todas as fontes de açúcar: lactose, mel, glucose, frutose, e substitutos do açúcar como o aspartame ou sacarina.

Alguns vegetais e tubérculos também são ricos em açúcar como batata-doce, cenoura e beterraba.

Outras comidas processadas devem ser evitadas por conterem açúcar como no caso do ketchup, cereais e claro, os refrigerantes.

Grãos com glúten também alimentam a Candida já que contem alto índice glicêmico. Portanto, é bom diminuir alimentos a base de milho, trigo e cevada.

Com essa mudança, os fungos serão obrigados a consumirem reservas de açúcar do seu corpo. É delas que as colonias se valeriam para persistirem no tratamento padrão, mas com essa medida você controla o fungo pela boca.

Pode parecer duro tomar essa atitude quando não se conhece os alimentos possíveis de consumir em tratamento. Por isso renovar o seu cardápio é importante e um livro de receitas para a candidíase deve auxiliar você nesse processo.

2 – Reconstrua O Sistema Imunológico

O ideal para fortalecer-se contra a Candida está no alto consumo de proteínas, gorduras boas e óleos saturados. Mas esses alimentos devem antes de tudo estar livres de aditivos e conservantes.

A proteína na alimentação torna lenta a quebra de carboidratos no organismo, o que diminui o potencial de crescimento das colonias da Candida.

Também é recomendado consumir carnes frescas e peixes como a sardinha e salmão que são ricos em ômega 3. Principalmente quando se está com baixa imunidade ou saindo de qualquer problema de saúde.

O colesterol é um ácido encontrado em membranas celulares, e diferente do que muitos pensam, entra aqui como um aliado. Ele tem papel de reparador e protetor do sistema imunológico, nutrindo o cérebro e sistema nervoso.

Entre as medidas naturais para o tratamento gastrointestinal contra a colonização da Candida existem muitas opções, mas o colostro é uma proteína particularmente indicada para pessoas com doenças autoimunes.

Consumir as capsulas de colostro pode regular o sistema imunológico e protege contra infecções diante de inúmeros patógenos do trato gastrointestinal, além de remediar bem os quadros de disbiose em qualquer ocasião.

Essas mudanças tornam o seu corpo combativo e também aceleram a cura já que mechem com a imunidade. Quando essas medidas se somam aos antifúngicos no seu cardápio, existe uma sinergia na alimentação.

3 – Torne O Trato Digestivo Mais Vivo

Existem bactérias que auxiliam a flora a ser restituída ao seu estado saudável de equilíbrio. Eles são os probióticos, as bactérias boas e rivais de agentes patogênicos como as hifas agressivas da candidíase intestinal.

Quando a Candida esta populando o trato digestivo, somente esses probióticos podem lutar por espaço e vencerem por competição. Eles estão presente no intestino delgado, na maioria são lactobacilos e bifidobacterias.

Uma alternativa para suprir essa necessidade é fazer um chá para candidíase intestinal a partir do Kombucha. Pois além de enriquecer a flora intestinal com probióticos e ser terapêutico, ele pode produzir um maravilhoso refrigerante caseiro e natural.

Outra forma útil e pratica é tomar probióticos em capsulas contra a candidíase. E embora a melhor recomendação seja consumir eles na comida, por vezes essas capsulas juntam os principais rivais da Candida.

Outra fonte fácil para encontrar probióticos é o Iogurte vivo contendo os lactobacilos. Mas precisa necessariamente ser aquele vendido sem açúcar, aditivos ou sabor, que estão nas prateleiras da maioria dos supermercados.

4 – Livre-se Das Toxinas Liberadas Pelo Fungo

Em casos de crescimento das colonias no intestino, um ambiente todo modificado é preparado pelo fungo. Ele próprio é capaz de modificar a acidez do seu entorno para prevalecer no organismo e bagunçar tudo.

A causa disso são as toxinas liberadas pelo fungo no organismo doente somados a flora desequilibrada. Essas toxinas em excesso precisam ser eliminadas para que todo o sistema possa se restabelecer novamente.

Por isso fazer um suco detox e acrescentar alguns antifúngicos naturais na bebida é uma ótima ideia. Ele funciona para a limpeza da Candida pois desintoxica o organismo ao mesmo tempo que vai matando os fungos.

Essa é outra estratégia para tratar a candidíase intestinal de forma sinérgica na alimentação e funciona com qualquer tratamento da sua escolha.

Perceba que não é uma simples estratégia, uma vez que desintoxicar o organismo pode recuperar a sensação de bem estar rapidamente. Claro que isso é desejável o quanto antes possível para quem sofre os sintomas das toxinas.

5 – Monte Um Plano Que Realmente Traga A Cura

Muitos buscam um tratamento natural para candidíase intestinal, mas poucos criam um plano realmente eficiente. Por isso a dieta para candidíase existe, já que ter planejamento é necessário para tudo acontecer na sua devida ordem.

Claro que você pode fazer isso por conta própria, mas precisará do apoio de um nutricionista ou médico especialista em nutrição. Isso pode resultar em um plano sob medida para você, mas de fato não é algo acessível a todos.

A candidíase intestinal é o principal problema dos pacientes da candidíase de repetição infecionando o corpo. Pois é no intestino onde está o núcleo matriz dos fungos, portanto, é tratando ele que acontece a cura definitiva.

Algo que os remédios sintéticos não fazem é cuidar da sua saúde microbiana. E um programa alimentar deve estar no seu radar caso você queira um plano concreto para essa finalidade.

Essa recomendação é especialmente útil caso você seja paciente de doenças imunossupressoras como HIV e Câncer. Mas caso você sofra de diabetes, obesidade e episódios repetitivos de candidíase cutânea, certamente essa será a melhor correção para a sua saúde.

Esse modelo de dieta alimentar é utilizado principalmente por pessoas em estado grave de candidemia, na candidíase esofágica e intestinal. Por isso é a melhor recomendação desse artigo e vale a sua experimentação.

 

Conclusão

Muitas pessoas sofrem por anos usando remédios sintéticos sem solucionar a candidíase recorrente. A maioria nem ao menos tem chance de conhecer outras alternativas, que as vezes são naturais, baratas e com menos efeitos adversos.

Apesar dos tratamentos com produtos farmacêuticos serem eficazes, os médicos também não sabem contornar a situação dos pacientes que não se curam utilizando eles.

Talvez esse artigo revelou muitos motivos para isso ocorrer. Sobretudo nos assuntos a cerca do homem e sua natureza microbiana.

Nosso código genético definitivamente não é igual, por isso a forma de se cura nem sempre é a mesma. A não ser que se influencie sobre a microbiota intestinal, pois essa é a garantia da saúde imunológica estar sempre em dia.

A cura para a candidíase intestinal pela alimentação é uma solução famosa nos estudos de infectologia e vive em ebulição na academia. Ela conta com avanços médicos já bem registrado a décadas na Europa e Estado Unidos.

medica nutricionista mostrando alimentosNós do Candidíase Tratamento e Cura somos um dos poucos canais da web trazendo esse conhecimento na língua portuguesa. E tendo em vista as vantagens de mudanças de vida que representam, eles devem se espalhar.

Por isso compartilhe, comente e torne esse conhecimento mais acessível. Assim você pode também estar contribuindo com a busca de muitas outras pessoas.