A candidíase intestinal é uma infecção causada por um fungo bem indigesto para muitas pessoas. Mas existem certas razões para ela ocorrer, assim como alguns caminhos bem seguros para tratar o problema e impedir que ele surja sem controle.

O corpo humano é composto por fungos e bactérias que competem por espaço em nosso intestino. E interferir nessa competição natural pode acarretar muitas complicações de saúde.

As colonias de fungos da família Candida são encontrados no intestino dos mamíferos. Esse é um terreno fértil e com condições ambientes favoráveis para muitos outros micro-organismos, sejam eles benéficos ou não.

Estima-se que 1200 espécies de bactérias habitam o organismo humano, 100 trilhões delas só na flora intestinal. Em média, isso pesaria cerca de 2kg em bactérias.

Isso significa uma relação de 100 para 1 em comparação às próprias células do corpo humano. Nós simplesmente abrigamos mais de 100 vezes genes microbianos que os nossos próprios.

Toda essa informação sugere que, quando estamos cuidando da nossa saúde, estamos na verdade cuidando da condição de vida de colonias inteiras de fungos e bactérias.

Toda a harmonia entre elas simboliza o microbioma humano. O ponto chave para o surgimento dos sintomas da candidíase intestinal, e claro, o ponto para a solução da infecção.

Acompanhe!

 

O Que Significa A Candidíase Intestinal?

Ter candidíase no intestino significa uma desordem na microflora intestinal causada por um desequilíbrio químico. Dessa forma, todo o laço de colaboração entre o homem e o fungo da Candida pode ser alterado.

O fungo da Candida tem papel auxiliar na digestão, mas pode se conturbar pelo meio, que quando mais acido, mantêm a colonia em condição harmoniosa com o homem. No entanto, quando o meio torna-se mais alcalino (PH alto), ocorre uma mutação tornando as cepas da Candida mais agressivas e infeciosas.

É dessa forma que acontecem as deformações celulares que tornam a Candida um agente patogênico.

Ela passa de sua forma de levedura à hifa, causando infecção em regiões do trato gastro intestinal como o intestino grosso e delgado, podendo passar para o trato genital, oral e até mesmo para a corrente sanguínea.

A candidíase intestinal em bebês é comum, principalmente quando a gestante tem a candidíase na gravidez. Nesses casos, a proliferação para a pele e boca são naturais, uma vez que bebes ainda não estabeleceram completamente a microflora intestinal.

A candidíase intestinal pode ser a causa da candidíase recorrente em outras regiões do corpo já que pode atravessas as defesas do organismo e causar outros estragos severos. Por isso merece dedicação e cuidados especiais para não se agravar.

 

Como Se Pega A Candidíase no Intestino?

foto das colonias de fungos que habitam o intestinoA infecção por candidíase intestinal acontece quando bactérias benéficas no intestino, os probióticos, tem baixa. Esse cenário diminui a competição por espaço no intestino, tornando o fungo da Candida dominante.

Dessa forma o fungo tem fontes de energia suficiente para povoar o hospedeiro, modificar o nível de acidez, oxigênio e receber mais nutrientes. Assim a colonia amadurece de forma patogênica, podendo ser evasiva.

Todas essas mudanças podem ser causadas por outros problemas no intestino como:

  • Síndrome do intestino irritado
  • Úlceras gástricas
  • Doença de Crohn
  • Colite ulcerativa
  • Doença neoplásica
  • E qualquer outra irritação no intestino.

Dessa forma, pode-se dizer que a causa da candidíase no intestino é efeito de problemas de saúde por uma disbiose intestinal. O que muitas vezes pode ter causas mais simples das que foram apontadas acima.

A manifestação das colonias em forma patogênica pode até mesmo se promover por uma baixa da imunidade em um indivíduo com maus hábitos alimentares.

O Comportamento da Candida No Sistema Intestinal

Para elucidar a ligação de causa da candidíase intestinal com problemas da saúde no intestino, um estudo foi feita com ratos. Nela os cobaias eram estudados com aplicação da cistamina, um composto que se acumulado no duodeno causa a úlcera.

Os ratos que receberam a cistamina junto a Candida Albicans desenvolveram em proporção de 16/17 a úlcera no duodeno, enquanto os que receberam apenas a cistamina isolada desenvolveram úlcera na proporção de 4/17.

Foi verificado que os ratos que receberam a Candida Albicans sem cistamina não desenvolveram a úlcera. Verificou-se também que a úlcera era mais agressiva naqueles em que a Candida Albicans estava presente.

Um estudo similar com ácido acético foi feito com resultados parecidos.

Mas dessa vez se verificou que a severidade e velocidade na cicatrização das úlceras era muito mais lenta nas cobaias com Candida Albicans agindo no intestino doente.

O estudo final mostrou que os ratos com inflamação intestinal tiveram colônias de Candida se desenvolvendo com sucesso no intestino doente, enquanto nas cobaias saudáveis, a Candida não teve o mesmo sucesso.

Em resumo, o estudo mostra que quando existe algum tipo de problema intestinal, uma mudança no PH ocorre na região em cicatrização. Esse fato altera o meio e faz com que a Candida passe por mutação e torne-se agressiva.

Aqui também está claro que doenças mal curadas podem favorecer a formação de colonias da Candida. Elas podem estar nos bastidores do organismo amadurecendo sua forma infeciosa.

Geralmente é por uma baixa no sistema imunológico que os sintomas mais notórios aparecem e ela pode crescer sem resistências.

Quais Problemas Podem Causar A Infecção?

O crescimento das colônias de Candida Albicans que causam a candidíase intestinal tem grande ligação com inúmeros maus hábitos ou doenças que diminuem a microbiota.

Os problemas mais bem conhecidos se resumem aos seguintes fatores:

  • Mudanças hormonais: uso de pilulas, pilulas do dia seguinte, reposição hormonal ou uso de medicamentos com corticosteroides.
  • Disbiose por antibióticos: o uso inadequado ou superdosagem de antibióticos, principalmente os de amplo aspecto. Eles causam a morte de bactérias probióticas concorrentes à Candida.
  • Problema alimentar: geralmente por muito consumo de comidas processadas, pobres de nutrientes ou contaminadas por bactérias e fungos que promovem a fermentação.
  • Consumo de Carboidratos: o exagero no consumo de açucares e carboidratos. Principais fontes de energia da colonias da Candida.
  • Consumo de drogas: As bebidas alcoólicas em excesso ou outras drogas diminuem a imunidade, alteram a química do organismo e tornam possível o crescimento de colônias de Candida.
  • Doenças imunossupressoras: doenças como diabetes, AIDS, pessoas tratando de câncer, anemia ou qualquer problema imunológico.

Entre os problemas apontados, o maior causador da candidíase intestinal é o uso inadequado de antibióticos. Mas os problemas de disenteria e intoxicação alimentar também tem efeitos semelhantes.

Os fungos causadores da candidíase são super-resistentes a antibióticos. O uso deles pode destruir bactérias rivais e realmente tornar a Candida dominante no organismo.

No entanto, existem outros problemas comuns do sistema nervoso como estresse e depressão que podem também modificar a química do organismo. Eles podem resultar na conhecida síndrome do intestino irritado, que como apontado, pode causar a candidíase intestinal.

Vale ressaltar que cada organismo é único e algumas pessoas são muito resistentes a fungos enquanto outras são mais suscetivas. Por isso os exemplos dados aqui não são regras, apenas o que as estatísticas apontam como maiores causas da candidíase no intestino.

 

Como Saber Se Estou Com A Infecção Intestinal?

mulher se contorcendo com candidíase no intestinoEsse tipo de infecção é uma das mais comuns no intestino e pode até mesmo ser assintomática em pessoas com alta tolerância a fungos. Mas na maioria das pessoas ela apresenta sintomas bem incômodos.

Como os problemas de infecção no sistema gastrointestinal podem se confundir entre problemas fúngicos e bacterianos, o diagnóstico deve ser muito preciso.

Tentar um autodiagnóstico e automedicação definitivamente não é aconselhável. Mas conhecer os principais sintomas e ter de antemão a forma como se dá o diagnóstico, pode ser de grande ajuda na busca de uma solução adequada.

Quais Os Sintomas Da Candidíase No Intestino

A infecção intestinal por candidíase apresentar alguns sintomas gerais que a acompanham. Principalmente os sintomas no psicológico por excesso de toxinas liberadas pelas colonias em crescimento.

Mas de forma mais especifica, os sintomas de candidíase intestinal são:

  • Cólicas abdominais
  • Diarreias
  • Perda de peso
  • Sangue ou filamentos brancos nas fezes
  • Dores de cabeça
  • Intestino preso e irritado
  • Náuseas e dores de cabeça

Esses sintomas claramente não revelam imediatamente o problema da candidíase, mas levantam a suspeita da infecção intestinal. O que leva a necessidade de uma consulta com um profissional da saúde.

No surgimento de 3 ou mais desses sintomas, é recomendável a consulta com um clinico geral ou coloproctologista. Eles são também os responsáveis por receitar a primeira linha de tratamento para candidíase caso ela seja o problema.

Como é Diagnosticada a Candidíase Intestinal

Para o diagnostico da candidíase intestinal, existe um procedimento que se inicia no próprio consultório e termina em um retorno com exames laboratoriais.

Certamente o mais provável é que o médico peça exame de fezes para averiguar a presença do agente causador. A profundidade desse diagnostico pode ser feito por um exame coproparasitológico para conhecer a cultura que está em crescimento nas fezes.

Em alguns casos, uma colonoscopia pode ser necessária para saber se o agente está aderido nas paredes do cólon. Mas exames desse tipo são mais raros para o diagnóstico padrão.

 

O Que Fazer Para Tratar A Candidíase Intestinal

mulher segurando boldura com desenho do intestinoVocê deve ter percebido que a candidíase intestinal não é um problema isolado e na verdade pode ser apenas uma reação da nossa microflora a problemas maiores da saúde intestinal.

Nem sempre é fácil ter disciplina nos hábitos diários ou mudarmos eles sem propósitos. E para ajudar, o tratamento numero 1 para candidíase intestinal é um atalho que faz uso de antifúngicos como o fluconazol, o que não corrige a flora intestinal de verdade.

As pessoas se curam da infecção por esse meio, mas continuam a se alimentar com comidas de baixo valor nutricional e cheias de aditivos artificiais que alteram a química do organismo em um ciclo sem fim.

E infelizmente, pelas mesmas motivações iniciais, a candidíase intestinal retorna. Mas dessa vez mais forte e com as cepas da Candida imunes à ação dos antifúngicos que já fazem parte do seu código genético.

Muitos não se atem ao fato do organismo estar se recuperando e assim abrem brecha para uma nova infecção de candidíase. O que penaliza também a saúde emocional, causando o declínio da qualidade de vida.

A chave para fazer um tratamento da candidíase intestinal adequadamente está em se dedicar ao que é consumido durante a infecção e períodos de baixa imunidade.

A alimentação quando bem direcionada é a principal responsável por alterar a química do organismo. Para não dizer que ela é capaz de fazer o corpo reagir bem, se imunizar e até digerir o fungo da Candida por completo.

Por isso serão enumerados alguns hábitos alimentares que precisam ser adotados ou evitados para resolver problemas de candidíase no intestino.

1- Evitar Alimentar A Candida Albicans

O crescimento da colônia de Candida tem como combustível alguns alimentos que precisam ser evitados como açúcar, carboidratos, refinados e glúten.

Dessa categoria se enquadram todas as fontes de açúcar, lactose, mel, glucose, frutose, e substitutos do açúcar como o aspartame ou sacarina.

Alguns vegetais e tubérculos também são ricos em açúcar como batata-doce, cenoura e beterraba.

Outras comidas processadas devem ser evitadas por conter açúcar como no caso do ketchup, cereais e claro, os refrigerantes.

Grãos com glúten também alimentam a Candida já que contem alto índice glicêmico. Portanto é bom diminuir alimentos a base de milho, trigo e cevada.

2- Reconstruir o sistema imunológico

O ideal para manter a candidíase sob controle está no alto consumo de proteínas, gorduras boas e óleos saturados. Mas esses alimentos devem antes de tudo estar livres de aditivos e conservantes.

A proteína na alimentação tornar lenta a quebra de carboidratos no organismo, o que diminui a fonte de energia para o crescimento das colonias de Candida.

Portanto, é recomendada a alimentação de carnes frescas e peixes como sardinha e salmão que são ricos em ômega 3. Principalmente quando se está com baixa imunidade ou saindo de qualquer problema de saúde.

O colesterol, que é um ácido encontrado em membranas celulares, entra aqui como um aliado diferente do que muitos pensam. Ele tem papel de reparador e protetor do sistema imunológico, nutrindo o cérebro e sistema nervoso.

3- Introduzir Bactérias Boas No Trato Digestivo

Existem bactérias que auxiliam a flora a ser restituída. Eles são os probióticos, as bactérias boas e rivais de agentes patogênicos como as hifas causadoras da candidíase intestinal.

Quando a Candida esta populando o trato intestinal, somente os probióticos podem competir por espaço nesse mesmo lugar e por isso são essenciais. Eles estão presente no intestino delgado, na maioria são lactobacilos e bifidobacterias.

Uma alternativa caseira para suprir essa demanda no organismo está em fazer um chá para candidíase intestinal, como o Kombucha. Uma forma também útil é utilizar probióticos naturais em capsulas.

Outra fonte fácil para encontrar probióticos é o Iogurte vivo. Mas precisa necessariamente ser aquele vendido sem açúcar ou aditivos com sabores, que está nas prateleiras da maioria dos supermercados.

4-Desintoxicar O Organismo

Em casos de crescimento das colonias no intestino, uma ambiente todo modificado é preparado pelo fungo. Ele próprio é capaz de modificar a acidez do seu entorno para entrar em mutação.

A causa disso são as toxinas liberadas pelo fungo no organismo doente ou com a flora desequilibrada. Essas toxinas em excesso precisam ser eliminadas para que todo o sistema possa se restabelecer novamente.

Por isso fazer um suco detox e acrescentar alguns antifúngicos naturais na alimentação é uma ótima ideia também. Esse tipo de atitude pode ser um auxiliar para fortalecer o sistema imunológico de forma muito mais ágil.

5-Montar Um Plano Alimentar

A candidíase intestinal é o principal problema dos pacientes com a candidíase de repetição. Pois é no intestino onde os fungos tem sua matriz e portanto é nessa região aonde pode estar o foco de todas as outras infecções.

Algo que medicamentos não conseguem fazer é alimentar o organismo e seus agentes microbióticos combativos para vencer a candidíase naturalmente. E um programa alimentar deve estar no seu radar caso queira uma solução mais definitiva.

Esse tipo de plano alimentar pode ser encontrado com a nutricionista de sua confiança, mas é notório que combater a candidíase dessa forma é ainda uma novidade no Brasil. Dessa forma, pode ser difícil encontrar nutricionistas com conhecimento médico suficiente sobre infectologia para receitar uma alimentação adequada.

 

Conclusão

Muitas pessoas sofrem por anos usando remédios sintéticos sem solucionar a candidíase intestinal. A maioria nem ao menos tem a chance de conhecer outras alternativas, que muitas vezes são naturais e com menos contraindicações do que os tratamentos convencionais.

Não é fácil encontrar conhecimentos aprofundados sobre a candidíase no idioma português. E apesar dos tratamentos com produtos farmacêuticos serem bem eficazes, os médicos também não sabem contornar a situação de pacientes com intolerância a esses fungos.

Nosso código genético definitivamente não é igual para todos e um numero considerável de pacientes com candidíase não consegue se curam de forma satisfatória nos consultórios médicos.

Por isso é cada vez mais importante que haja o envolvimento maior do paciente da candidíase com a solução do problema.

A cura para a candidíase intestinal através de uma alimentação direcionada é uma solução famosa em países avançados nos estudos de infectologia. E o Candidíase Tratamento e Cura é um dos poucos canais disponíveis na web falando sobre isso em nosso idioma.

Por isso compartilhe, comente e torne esse conhecimento mais acessível. Você pode também estar contribuindo com a busca de bem estar de muitas outras pessoas.