Qualquer pessoa sofrendo com os fungos da Candida são candidatas a candidíase emocional. Esse é um caso pouco contado pelos médicos e pode ser a parte mais estressante de toda a infecção.

Como sabemos, o corpo humano é um ecossistema inteiro de colaboração entre fungos, vírus, bactérias e outros organismos vivos. Eles tem papel chave em muitos aspectos de defesa e estímulos da nossa vida.

“Para se ter ideia, a vida microscópica que abrigamos é 10 vezes superior ao números de células humanas. E caso consideremos eles em nosso código DNA, nós somos 90% micro-organismos e apenas 10% seres humanos.”

O núcleo dessa verdadeira central de colaboração microscópica está no intestino humano. Um local com espécimes muito distintas do nosso microbioma, entre elas, os fungos da família Candida.

O ditado ‘O Nosso Intestino é Nosso Segundo Cérebro’ nos deixa a entender que o corpo é apenas uma extensão da mente. E não por acaso o segundo local aonde mais temos neurônios no corpo é no intestino.

Mas o que pouco se fala sobre os casos de infecções fúngicas ou bacterianas é dos reflexos delas no corpo e na mente. E um estresse por candidíase no emocional não é algo corriqueiro que deva ser abandonado em um tratamento adequado.

Por isso trazemos nesse artigo mais esclarecimentos sobre a infecção da candidíase afetando a mente e o psicológico.

Leia também → O Que É Candidíase e Como Ela Age No Organismo?

 

A Candida no Organismo e A Química Perfeita

Nós somos aquilo que comemos, respiramos ou pensamos. Somos o reflexo dos nossos hábitos de vida e de todas as emoções que resultam de uma verdadeira química responsável por entregar os nossos estímulos.

E claro, os mensageiros desses estímulos, sejam eles benéficos ou não, são os receptores cerebrais e os órgãos ao produzirem hormônios. Resultado de um mecanismo engenhoso feito pelos micro-organismos e todos os seus insumos.

Essa talvez tenha sido parte da história que lhe contaram na escola. A história de que existe uma verdadeira sopa química com muitos micro-organismos responsáveis pela qualidade da nossa saúde.

Os fungos da Candida tem muitas dessas funções quando colaboram com o homem em uma relação justa. Entre as suas tarefas eles:

  • Recolhem restos de tecidos mortos do corpo.
  • Eliminam bactérias maléficas.
  • Auxiliam na digestão.
  • Metabolizam enzimas prejudiciais ao organismo.

E nessas condições, os fungos da Candida podem até mesmo nos livrar de venenos perigosos para o organismo, como alguns metais pesados por exemplo.

Esse é o efeito desejável ocorrendo em um organismo saudável, ou seja, com o equilíbrio químico perfeito. Um estado em que os fungos em forma de leveduras convivem com o homem por comensalismo no sistema intestinal.

 

A Ligação Do Intestino e Cérebro

Candidíase causa Depressão pelo Intestino

Nosso corpo produz inúmeros hormônios que, se acumulados, juntariam cerca de 10 gotículas no total.

Eles são fiéis mensageiros bioquímicos que nos avisam quando despertar, quando o corpo deve produzir anticorpos e recompor suas defesas ou até mesmo quando recompensar o cérebro com sensações de prazer.

A ligação do nosso cérebro com outros órgãos se dá através de inúmeros neurotransmissores, enquanto as glândulas que as produzem são verdadeiros laboratórios funcionando o tempo todo pelo corpo humano.

Nosso intestino tem glândulas que são responsáveis diretas por produzirem cerca de 90% a 95% de toda a serotonina em nosso corpo. Esse hormônio é responsável direto pelo nosso humor, sono e apetite, dando sentido a sensações de necessidades diárias que devem existir sem interrupções.

A deficiência na produção de serotonina é o que causa depressão e algumas vezes a ansiedade. Uma modificação de comportamentos que encoraja outras reações no psicológico como a diminuição da libido sexual e irritabilidade por exemplo.

Imagine se esses neurotransmissores fossem subitamente impedidos de chegarem até o cérebro como, por exemplo, por causa de alguma desordem na saúde intestinal?

Dessa forma é comum existirem pessoas com quadro grave de depressão enquanto sofrem da candidíase intestinal. Um problema que pode ser silencioso e debilitante na vida social, profissional e amorosa.

É assim que a candidíase emocional se inicia, além dos inúmero sintomas da infecção já conhecidos.

Tudo ocorrem pela falha de comunicação entre o intestino e cérebro a partir de problemas químicos complexos que são negligenciados muitas vezes pelos especialistas da saúde.

 

A História Pouco Contada Sobre A Candidíase

a candida em estado emocional normalA nossa saúde física e psicológica tem uma ligação permanente. E dependendo das nossas condições físicas, podemos desenvolver problemas psicológicos que drenam a força de vontade e expectativa de vida.

De forma reversa, é possível desenvolvermos doenças físicas por efeitos psicológicos também. Nosso corpo simplesmente altera sua química, diminui a imunidade e fica sujeito a infecções como da própria candidíase vaginal, oral ou na pele por exemplo.

A candidíase emocional é um efeito psicológico que ocorre em muitas pessoas infectadas pelo fungo. Mas pode ao mesmo tempo ser considerada o efeito psicológico que abre brechas de saúde para as colonias se desenvolverem.

“Talvez esteja aqui a maior explicação do porque o fungo da Candida é famoso por ser oportunista. Pois ele pode surgir por problemas de estresse no organismo e ao mesmo tempo a candidíase pode ser a causadora do estresse.”

Essa depressão por candidíase ocorre em reflexo das micotoxinas das colonias em crescimento no organismo. A mesma toxina do fungo que causa a mutação das leveduras e torna elas em hifas mais agressivas.

Mas ao mesmo tempo, a toxina pode fazer o paciente desistir da cura, já que também é liberada no sangue pelos efeitos da Candida Die-Off, ou seja, pela morte dos fungos durante um tratamento.

A Candida afeta o fígado, que tem função de transformar toxinas para um estado não-tóxico e as remover da corrente sanguínea.

Caso muitas toxinas de vírus, fungos ou parasitas passarem em excesso, o fígado não conseguirá filtrar o sangue com rapidez suficiente. E o sangue ainda tóxico, se espalha por todo o corpo, incluindo o cérebro.

Essa toxina tem efeito inibitório de muitos estímulos que deveriam chegar aos receptores cerebrais como a serotonina já comentada aqui. E quanto mais maduras as colonias, mais reativas elas se tornam ao psicológico.

Os Sintomas da Candidíase Emocional

Motivadas por uma desordem na microflora intestinal ou baixa da imunidade, os fungos da Candida podem tornar-se um agente patogênico, desenvolver suas colônias sem controle e causar as inúmeras infecção da candidíase.

Cada um dos sintomas da candidíase se distinguem pelo local do corpo em que afetam. Mas quando as colonias se desenvolvem no organismo liberando suas toxinas, elas podem trazer outros sintomas gerais como:

  • Dificuldade de concentração.
  • Memória fraca.
  • Dores de cabeça constantes.
  • Fadiga.
  • Mudanças repentinas de humor.
  • Ansiedade.
  • Melancolia, desanimo e depressão.

Esses sintomas podem confundir facilmente os médicos e pacientes. O que requer a necessidade de se analisarem os sintomas físicos em conjunto, que geralmente é o procedimento correto feito para um diagnóstico no consultório médico.

Os Sintomas da Candida Die-Off

Mas os sintomas do estresse da candidíase no organismo não para por aí. Pois durante a morte das colonias do fungo no organismo sob tratamento, também podem ocorrer sintomas distintos como:

  • Febre.
  • Náuseas.
  • Fraqueza.
  • Suadouro.
  • Tremores e calafrios.
  • Baixas da pressão.
  • Dores Musculares.
  • Vasodilatação.
  • Aceleração cardíaca.

E por causa desses sintomas é importante que o tratamento para a candidíase também cuide da desintoxicação do organismo do paciente. Principalmente para os que atravessam uma candidíase recorrente e de longa data.

 

Como o Estresse da Candidíase Emocional Causa a Depressão?

candidiase causa depressão neurotransmissores

Durante infecção da candidíase, as colônias do fungo em crescimento liberam toxinas que podem penetrar na corrente sanguínea. São 79 diferentes toxinas identificadas e provenientes do metabolismo da Candida, algumas afetando diretamente as defesas do organismo.

A principal delas é o acetaldeído conhecido pela quebra das moléculas do álcool no organismo e a mesma que responde pelos sintomas da ressaca causados pelas bebidas alcoólicas.

Quando o acetaldeído reage com a dopamina, um neurotransmissor também responsável pelo humor, podem acontecer distúrbios emocionais bem característicos da depressão e fadiga.

Quando as colônias de Candida estão crescendo, elas criam seus leitos sob as paredes do intestino. E isso suprime a produção daquele que é o neurotransmissor mais numeroso do cólon e responsável pelo prazer, a serotonina.

Outra forma que a Candida afeta o emocional se dá pela dificuldade de armazenamento da vitamina B12 no fígado.

Normalmente não temos necessidade de uma grande quantidade dessa vitamina no organismo, no entanto,  quando em baixa, o corpo reage também com depressão e outros efeitos psicológicos prejudiciais para o paciente.

De forma geral, as toxinas liberadas no estresse da candidíase emocional entram no sistema sanguíneo tornando a desintoxicação natural do sangue muito difícil.

E com a capacidade de regeneração do organismo comprometida, a possibilidade de se desencadearem outros problemas de saúde aparecem.

As sensações desencadeadas pela depressão por candidíase podem ser um forte golpe no psicológico do enfermo. Elas trazem sentimentos de pessimismo, falta de esperança em qualquer tratamento, medo e negatividade.

 

Como o Estresse Pode Levar a Candidíase?

Quando encontrarmos uma criatura selvagem perigosa, algumas alterações bioquímicas ocorrem quase que por instinto em nosso corpo para aumentar nossas chances de sobrevivência – mudanças projetadas para serem apenas de curto prazo.

Todos nós já ouvimos falar sobre a resposta do estresse ao combate, porem, os nossas modernas “criaturas selvagens” (estresse no trabalho, estresse no relacionamento etc.) podem estar tempo demais em nossa rotina, o que torna esse estresse crônico.

Estar sobre descargas constantes de tensão por muito tempo também gera um efeito negativo em cascata no psicológico humano.

Nada bom para a química do organismo, pois os hormônios responsáveis pela resposta ao estresse, como o cortisol, estarão disparando sem controle.

O cortisol tem dois efeitos sobre as colonias de fungos da Candida que são:

  1. O cortisol estimula a produção de açúcar, a principal fonte de energia que sustenta o crescimento das colonias dos fungos da família Candida.
  2. A constante secreção de cortisol impacta de forma diferente em nosso sistema imunológico e o torna insensível, abrindo brechas para infecções.

O estresse crônico, leva também à redução da uma secreção de ácido estomacal e enzimas pancreáticas, que facilita a multiplicação dos fungos da Candida.

E de forma conjunta, o estresse também leva à fadiga adrenal e também afeta na redução da imunidade – algo que potencializa não somente a Candida, mas também outros agentes patogênicos de se aproveitarem do organismo humano.

 

Como Amenizar A Candidíase no Sistema Nervoso?

A candidíase emocional é um problema que felizmente não é regra para toda a infecção, mas pode se tornar um problema quando a infecção não é tratada. E por causa dela, muitas pessoas desistem da cura se arrastando com o problema por anos, ou até pela vida inteira.

Caso você tenha lido o artigo até aqui, deve ter passado pela sua mente que a cura da candidíase muitas vezes não se cumpre facilmente com pomadas ou antifúngicos.

Na verdade a cura da infecção ocorre de forma simples na maioria das vezes, mas quando se percebe uma depressão decorrente da candidíase, alguns cuidados que devem ser reforçados.

O principal deles é feito durante qualquer tratamento, seja com produtos farmacêuticos ou por tratamento caseiro. E não se passa de desintoxicar o organismo turante a Candida Die-Off, que é o momento que as toxinas são liberadas no sangue pela morte das colonias do fungo.

Isso pode ser feito com algumas medidas como:

  • Suspender qualquer medicamento.
  • Manter-se constantemente hidratado(a).
  • Consumir mais vitamina C.
  • Fazer saunas para desintoxicar o corpo.
  • Realizar banhos de contraste.
  • Tomar suco detox.
  • Consumir outros alimentos desintoxicantes.
  • Fazer massagem linfática.

a dieta na candidíase emocionalA medida ideal de um tratamento para candidíase é que se evite um ataque brusco às colonias de forma que não precise sofrer sintomas psicológicos fortes. E por isso um tratamento alimentar para candidíase pode ser a melhor medida.

O tratamento naturalmente feito pela alimentação é uma forma segura de curar a infecção sistêmica e ela já acompanha as medidas corretas para a desintoxicação do organismo durante a morte dos fungos.

Independente do tratamento que for escolhido, saiba que a candidíase tem cura. E resistir psicologicamente a ela é sem duvidas o ultimo passo que você precisa dar para eliminar o fungo de vez.